Saber como calcular férias trabalhistas é um item básico para pequenos empresários, contadores e funcionários de departamento pessoal, já que esta é uma das principais obrigações de ordem trabalhista das empresas. Para saber o que considerar na hora de fazer esse cálculo e ver exemplos práticos, confira nosso post.

como-calcular-ferias-trabalhistas

Como calcular férias trabalhistas – o que considerar?

Ao aprender como calcular férias trabalhistas, é necessário observar as seguintes informações:

  • Salário base do trabalhador;
  • O valor das férias é composto de um mês de salário do empregado + 1/3 constitucional de férias;
  • Período aquisitivo referente à concessão das férias, lembrando que para ter o direito a férias, o empregado precisa ter 1 ano completo de trabalho;
  • Definição se as férias serão de 30 ou 20 dias (pois os cálculos são diferentes). Obs.: ao tirar 20 dias de férias, o empregado tem direito ao chamado abono pecuniário que se refere aos 10 dias “vendidos”;
  • Data de início e término das férias, lembrando que a data de início não pode ser nos finais de semana ou feriados;
  • Data de retorno ao trabalho;
  • Sobre o valor apurado das férias incidem descontos de INSS e IRRF (conforme tabelas divulgadas pelo Governo Federal considerando as alíquotas);
  • Além de as férias serem pagas sobre o salário base, o cálculo delas incide sobre média de horas extras e comissões recebidas durante o período aquisitivo de férias. Caso ocorra essa situação, deve ser feito um cálculo à parte do salário base e esse valor somando à quantia a ser recebida pelo empregado;
  • O pagamento das férias deve ser realizado 2 dias úteis antes do primeiro dia de férias do empregado;
  • Também nesta data deve ser assinado um tempo no qual empregador e empregado dão ciência quanto à concessão das férias, datas de início e término, assim como recebimento dos valores.

Como calcular férias trabalhistas – exemplo 1 (30 dias)

Munidos das informações acima, vamos ao primeiro exemplo de como calcular férias considerando período de 30 dias.



Salário base do empregado = R$1.500,00

Valor das férias (30 dias) = R$1.500,00

1/3 constitucional = R$500,00

Total bruto das férias = R$2.000,00



Desconto de INSS (9%) = R$180,00

Valor líquido a receber de férias = R$1.820,00

ferias-trabalhistas-calculo

Como calcular férias trabalhistas – exemplo 2 (20 dias)

Salário base do empregado = R$1.500,00

Valor das férias (20 dias) = R$1.000,00

1/3 constitucional de férias sobre 20 dias = R$333,33



Abono pecuniário = R$500,00

1/3 sobre abono pecuniário = R$166,67

Total bruto das férias = R$2.000,00

Desconto de INSS (9%) = R$180,00

Valor líquido a receber de férias = R$1.820,00

Obs.: como podemos perceber, o valor de 30 e 20 dias de férias permanece o mesmo. O que muda é que quando o empregado “vende” 10 dias de férias, pelo fato de trabalhar 10 dias no decorrer do mês, além do valor das férias, ele recebe 10 dias de salário. Por esse motivo, essa é uma das opções mais feitas pelos trabalhadores.

Entretanto, para o empresário, em termos de custos com pagamento de férias e encargos incidentes sobre elas, o recomendável é optar por conceder férias de 30 dias.

Principais dúvidas sobre como calcular férias trabalhistas?

O que acontece quando as férias do empregado vencem?

Quando o empregado fica dois períodos aquisitivos sem tirar férias, ocorre o que a lei trabalhista chama de férias vencidas, que é quando o trabalhador ganha o direito a novas férias antes de ter gozado as do ano anterior. Quando isso ocorre, a empresa deve fazer o pagamento das férias em dobro.

Incide recolhimento de FGTS sobre as férias?

Sim. Sobre o total bruto recebido de férias incide recolhimento de FGTS.

O empregado pode perder o direito a férias?

Sim. Caso o trabalhador se encaixe em uma das situações abaixo, ele perde o direito a férias. Esses casos são:

  • Estar em gozo de licença com recebimento de salários por um período superior a 30 dias;
  • Deixar o emprego e não ser readmitido dentro do prazo de 60 dias;
  • Tiver recebido por meio da Previdência Social prestações referentes a auxílio-doença ou acidente de trabalho por mais de 6 meses (ainda que descontínuos) dentro do mesmo período;
  • Deixar de trabalhar, com recebimento do salário por mais de 30 dias devido à paralisação total ou parcial dos serviços da empresa.

É importante estar atento a todos os detalhes que envolvem saber como calcular férias trabalhistas, evitando prejuízos financeiros tanto para as empresas quanto para os empregados.

Imagens –          derechoynegocios.com            regiao4.institutovidaparatodos.org.br